Início Portugal Golas antifumo provocam crises respiratórias e foram retiradas

Golas antifumo provocam crises respiratórias e foram retiradas

3 min lido
0
0

A APROSOC retirou as golas de imediato porque libertam substâncias com odor semelhante ao do fumo de plástico a arder.

As golas antifumo provocam crises respiratórias à população, quando expostas ao calor, libertam substâncias que podem causar problemas respiratórios agudos.

A APROSOC alerta que este equipamento podem mesmo desencadear crises respiratórias agudas.

Recomenda que se complemente a análise feita a estas golas antifumo com a análise da qualidade do ar a inalar quando exposto.

Recorde que nos incêndios de Vila de Rei, Sertã e Mação foram quase 9 mil hectares ardidos.

O relatório pedido pela Proteção Civil concluiu que as golas antifumo distribuídas à população não se inflamam quando expostas ao fogo, chegando a furar quando testadas a cerca de 20 centímetros das chamas, mas sem arderem.

Os testes e o relatório do Centro de Investigação de Incêndios Florestais foram feitos após as notícias que davam conta de que estas golas antifumo provocam crises respiratórias.

O CIIF refere que o documento constitui um relatório muito sucinto.

golas antifumo provocam crises

Estas golas antifumo estão no centro de uma polémica aberta depois de o Observador e o Jornal de Notícias terem divulgado que eram inflamáveis.

O caso já levou à demissão do adjunto do secretário de Estado da Proteção Civil, Francisco Ferreira, após ter sido noticiado o seu envolvimento na produção das golas e dos kits de emergência.

O ministro da Administração Interna mandou abrir um inquérito urgente sobre contratação de material de sensibilização para incêndios.

Fonte: Observador

Ver mais artigos relacionados
Ver mais de zony
Ver mais em Portugal

Verifique também

Fernando Rocha poderá não recuperar à infeção

Fernando Rocha revela como está a lidar com a doença Covid-19 e desabafa com os seguidores…